fbpx

Destinos de Mato Grosso do Sul recuperam turismo pré-pandemia

Foto VisitMS

Atividade vem crescendo desde o ano passado depois de ter um 2020 de baixas

Operadores do turismo de Mato Grosso do Sul têm comemorado os bons números registrados pelo setor em 2022.

“Sempre fazemos pesquisas e temos observado bastante movimento. Só em abril deste ano a rede hoteleira teve 57% de taxa média de ocupação. Em 2019, esse índice foi de 46%”, afirmou a coordenadora do Observatório do Turismo e Eventos de Bonito (OTEB), Janaína Mainchein.

Segundo ela, empresários do maior destino de ecoturismo do mundo têm percebido melhora no fluxo da cidade. “Os hotéis relatam que o movimento já voltou como era antes da pandemia. E o público tem mudado também. Temos recebido bastante sul-mato-grossenses, que têm diversificado os passeios além dos balneários”, contou.

Na região Pantaneira, a cidade de Corumbá também sente melhora na movimentação de visitantes. “Já voltou à normalidade. A pescaria está normal. Os barcos-hotéis estão saindo e atraindo bastante gente. E os bolivianos estão vindo bastante, principalmente nos finais de semana”, contou o presidente da Associação Corumbaense das Empresas Regionais de Turismo (Acert), Luiz Martins.

Feriados com hotéis cheios

Foto Prefeitura de Bonito

Nos dois últimos feriados de abril, Páscoa e Tiradentes, a movimentação turística foi grande nos principais destinos turísticos do Estado.

Números catalogados pelo Observatório do Turismo de Mato Grosso do Sul, administrado pela Fundtur (Fundação de Turismo do Estado), revelam que a taxa média de ocupação dos hotéis e pousadas de Aquidauana, Bonito, Corumbá, Miranda, Ponta Porã e Rio Verde de Mato Grosso ficou em 81% na Páscoa e em 60% no Tiradentes, ambos feriados de abril.

Os melhores índices foram registrados em Bonito, com 95% de ocupação de leitos na Páscoa e 87% na folga de Tiradentes. Na sequência, vieram Corumbá (área urbana), com 90% e 65%; Ponta Porã, com 81% e 61%; e Aquidauana, Corumbá e Miranda (pousadas pantaneiras), com 74% e 72%.

Para o diretor-presidente da Fundtur, Bruno Wendling, essas taxas de ocupação refletem a recuperação da atividade turística e indicam um 2022 bem positivo para o turismo. “Não há mais restrições para viajantes por causa da pandemia e o pior, de fato, já passou. O trabalho que a gente vem realizando ao longo dos últimos anos, reforçando o posicionamento dos nossos destinos, contribui para que essa retomada seja forte e que essa taxa de ocupação venha crescendo”, pontuou.

Por Bruno Chaves/Subcom – GovMS

%d blogueiros gostam disto: