fbpx

Proinc devolve sonhos e dignidade

Programa da Funsat capacita pessoas para o mercado formal de trabalho

Com a finalidade de preparar o cidadão para o mercado de trabalho, gerar renda e ajudar na alimentação familiar por 24 meses, a Fundação Social do Trabalho (FUNSAT), encaminha pessoas em situação vulnerável para o Programa de Inclusão Social, mais conhecido como Proinc, a intenção é que após esse período essa pessoa seja recolocada ao mercado formal.

O Proinc visa proporcionar ocupação, qualificação profissional e bolsa-auxílio para cidadãos que tenham de 18 a 70 anos, desempregados há, pelo menos, seis meses, sem carteira assinada e com renda bruta familiar de até um salário-mínimo e meio, proporcionando oportunidade, geração de renda e inserção no mercado de trabalho. Os trabalhadores do Proinc recebem um salário-mínimo, vale-transporte, alimentação e cesta básica. É garantido um seguro de vida correspondente a 25 vezes o valor do salário-mínimo para os casos de morte e até 50 vezes, em caso de invalidez e morte acidental. A Prefeitura também concede isenção de taxa de inscrições nos concursos realizados pela Prefeitura.

O Diretor Presidente Luciano Martins disse que o Proinc além de ser de caráter temporário, possibilita que a pessoa inclusa no programa se capacite para o futuro, saindo da situação de vulnerabilidade social e resgatando assim a dignidade.

“É sabido que o Programa de Inclusão Social, é de caráter temporário cuja a duração não ultrapassa 24 meses, entretanto aquele que se candidata a uma dessas vagas, tem a possibilidade de durante esse período se qualificar, capacitar, voltar a acreditar que o futuro é possível, saindo de uma situação de vulnerabilidade social, acreditando em si, resgatando a dignidade e a autoestima e tudo isso faz com que nós tenhamos alguns bons exemplos de superação e de pessoas que começaram no programa e hoje passaram a ser servidores públicos concursados, profissionais de outros ramos e atividades”. Comenta Luciano Martins.

Foi o que aconteceu com a Verônica da Costa Santos de 49 anos. Às vésperas de concluir os 24 meses de Proinc, Verônica disse sentir que a oportunidade foi um divisor de águas em sua vida. “Meu tempo como Proinc está terminando e eu tenho muito o que agradecer, tanto na secretaria onde estou trabalhando, como também pelo acolhimento aqui na Funsat, estou até sem palavras. Hoje eu vejo que durante esse período eu tive a visão ampliada, e o mais interessante é que percebi que os meus colegas de trabalho também tiveram esse aprendizado, ainda mais em tempo de pandemia. A minha é algo melhor, pretendo mexer com vendas. Eu aproveito a renda do Proinc para investir nas vendas e continuar ganhando meu pão de cada dia, vendendo máscaras e outras coisas”.

O Coordenador do setor de Assistência Social da Funsat, Odair Jose, falou que o sentimento é de orgulho e dever cumprido, de acordo com Odair a realização de sonhos é uma das missões do Programa. “É um orgulho, a gente prestar esse serviço para sociedade sabendo que não é apenas nesse momento de pandemia, mas antes também. O Proinc vem fazendo a diferença na vida das pessoas, como a Verônica menciona, ela está usando o recurso dela para ser uma empreendedora, já pensando no futuro, ela vende máscaras e compra outros materiais para revenda, então além de complementar ela já tem uma visão mais ampla do mundo do negócio, para nós sabermos que a perspectiva da pessoa mudou e ampliou, é muito gratificante. O Proinc não é só um programa que ‘mata a fome’, mas ele também ajuda a pessoa a realizar seus sonhos, e isso é uma satisfação muito grande”.

“O caso específico dessa senhora que passou a empreender fazendo disso um impulso para alcançar o seu sonho, é ver o programa cumprir o seu papel na medida em que os nossos semelhantes se intendam na sociedade e busquem caminhos melhores para suas vidas”. Finaliza Luciano Martins.

Por Fabiola Camilo/Funsat

%d blogueiros gostam disto: