fbpx

Experimente o chá de Ipê-Roxo.

Uso medicinal do ipê-roxo se dá pela ingestão do chá da casca da árvore

O ipê-roxo é uma árvore de nome científico Handroanthus impetiginosus encontrada na América do Sul. Também conhecida por seus nomes populares ou sinônimos como piúva, pau-d’arco, piúna, ipê-roxo-de-bola, ipê-una, ipê-roxo-grande, ipê-de-minas, piúna-roxa, Tabebuia impetiginosa, Tabebuia avellanedae, a árvore ipê-roxo é muito conhecida por seu uso medicinal e como madeira de lei, sendo classificada como Panc (Planta Alimentícia não Convencional).

O ipê-roxo é originário da mata atlântica brasileira, mas também ocorre no cerrado, sendo uma árvore nativa do Acre, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro e São Paulo.

Entretanto, a árvore ipê-roxo também é muito encontrada na arborização urbana da Argentina, Bolívia, Colômbia, Guiana Francesa, Paraguai, Peru, Suriname e Venezuela, El Salvador, Costa Rica, Guatemala, Honduras, Nicarágua e Panamá e México.

Ipê-rosa

Muitos integrantes da comunidade cientifica acreditam que a Handroanthus avellanedae é igual ao ipê-roxo, as categorizando na mesma espécie. Contudo, muitos botânicos discordam do fato, alegando que a Handroanthus avellanedae é uma outra árvore ornamental de ipê, de folhas compostas e de cor rosada, também conhecida como ipê-rosa, diferentemente do arco roxo da Handroanthus impetiginosus.

Uso medicinal do chá de ipê-roxo

No conhecimento popular tradicional, o chá de ipê-roxo serve para tratar inflamações, úlceras, infecções bacterianas e fúngicas.

Um estudo publicado pela revista Phytotherapy Research avaliou a propriedade cicatrizante do extrato etanólico da casca da árvore ipê-roxo e chegou a resultados que vão ao encontro do conhecimento tradicional já consolidado na popular.

O estudo induziu o desenvolvimento de úlceras gástricas crônicas em ratos e os tratou com extrato etanólico de ipê-roxo duas vezes ao dia durante sete dias.

Ao final da análise, houve redução em quase metade das úlceras gástricas tratadas com o extrato de ipê-roxo. O estudo concluiu que os compostos presentes na casca da árvore ipê-roxo apresentam propriedades significativas capazes de proporcionar a cicatrização das úlceras gástricas. O efeito se dá pelo aumento do conteúdo de muco e da proliferação celular, confirmando a utilidade do ipê-roxo para o tratamento desse tipo de condição.

Um estudo publicado na revista “Proceedings of the National Academy of Sciences” concluiu que a casca do ipê-roxo possui um componente capaz de eliminar um tipo de célula cancerígena.

De acordo com os pesquisadores do estudo, esse componente presente na casca do ipê-roxo, chamado de “beta-lapachone” tem potencial para ser utilizado no tratamento de câncer de pulmão.

Como fazer chá de ipê-roxo

Diferente da forma mais tradicional de consumir chá, que é feita a partir da folha da planta, o chá de ipê-roxo é feito a partir da casca da árvore.

Atenção

Não retire a casca de nenhuma árvore de ipê-roxo por conta própria. Isso pode matá-la. Procure por fornecedores que fazem a extração sustentável.

Por eCycle

%d blogueiros gostam disto: