fbpx

Mulheres empreendedoras buscam motivação na independência financeira

young woman using laptop at vintage cafe
Foto Yan Krukov

Foram entrevistadas 446 empreendedoras brasileiras entre janeiro e fevereiro deste ano

Os motivos para começar a empreender podem ser vários: ser sua própria chefe, ter flexibilidade de horários, segurança profissional ou realizar um sonho. O principal deles, no entanto, é ter liberdade financeira. Para 40% das brasileiras, esse é o maior fator de encorajamento para começar um negócio, segundo levantamento da Serasa Experian. O segundo é a flexibilidade de tempo.

O levantamento mostrou que a maioria delas (55%) já alcançou a sonhada independência financeira, e que 57% delas vivem totalmente da renda de seus negócios.

A trajetória empreendedora, apesar disso, quase nunca é simples. Mulheres sofrem com dificuldades de levantar investimento, gerenciar outras áreas da vida, como o cuidado com a casa, filhos e parentes, e inseguranças em relação à sua capacidade para criar um negócio do zero. E, mesmo quando enfrentam esses obstáculos, elas sentem ter menos oportunidade que os homens no mercado.

Por esse motivo, e mirando no sucesso dos seus negócios, elas buscam a capacitação; 69% das mulheres afirmam ter se preparado para começar a empreender e 39% delas querem realizar cursos focados no desenvolvimento profissional para potencializar as perspectivas de futuro das suas empresas.

Motivação para empreender

Foto Canva Studio

A busca por autonomia sobre a vida pessoal e profissional fala mais alto, mesmo com esse cenário desafiador, e é responsável por manter essas mulheres fiéis a seus empreendimentos. O apoio de outras empreendedoras e o incentivo delas para abrir um negócio também é citado como importante fonte de motivação.

A pandemia, que trouxe dificuldades para empreendedores de todo o mundo, também impulsionou a digitalização de processos, e influenciou 78% das entrevistadas na decisão de abrir o próprio negócio. A comunicação com os clientes, as formas de pagamento e a divulgação e entrega dos produtos foram facilitadas e otimizaram os processos das empreendedoras.

Por Forbes Brasil

%d blogueiros gostam disto: